Problemas nos joelhos atingem 30% da população e a demora em buscar ajuda adequada influencia no tratamento.


A dor no joelho é mais comum à medida que a idade avança, atinge 20% das pessoas entre 20-30 anos e 40% acima dos 60 anos.

As mulheres são as mais atingidas e os casos crônicos e repetitivos são muito comuns, apesar dos tratamentos. É possível que fatores hormonais e posturais estejam relacionados à maior incidência no sexo feminino.

Na população em geral, principalmente acima dos 50 anos, cerca de 50% das pessoas relatam dor no joelho e problemas funcionais (mobilidade) no período de um ano e apenas a metade delas procura ajuda profissional.

Voc no tem que viver com dores nos joelhos

Os riscos do uso frequente de analgésicos e anti-inflamatórios

Outro fato alarmante é que as pessoas demoram muito para buscar ajuda. Neste caminho optam pelo uso frequente de remédios anti-inflamatórios não esteróides e analgésicos, que aliviam a dor em curto prazo, mas não representam as melhores indicações. Os riscos do uso contínuo destes medicamentos podem provocar problemas gástricos, renais ou hepáticos, além de mascarar as causas reais do problema.


Deve-se evitar aliviar um problema e adquirir outro

Quanto mais cedo à dor no joelho for enfrentada, melhor será o resultado, evitando a compensação ou adaptação do corpo a essas dores, que podem provocar novos problemas em outras regiões do corpo como: o joelho oposto ao comprometido, a coluna, o pescoço, o quadril e os pés.

Voc no tem que viver com dores nos joelhos

Coluna vertebral e os seus discos

Um sintoma que não deve ser ignorado

Existem casos de artrose na coluna (espondiloartrose) e discopatias degenerativas (problemas no disco) que podem provocar dores irradiadas para os joelhos e pernas, dificultando ainda mais a conclusão de um diagnóstico correto do problema. É preciso investigar este sintoma.
Muitas vezes, a rigidez percebida nos joelhos ao levantar da cama ou da cadeira, mostra que algo não está funcionando como deveria e logo essa sensação pode se manifestar através de sintomas de dor. Esse comportamento da articulação dos joelhos na maioria das vezes é ignorado pelas pessoas e considerado normal.

Tratar um joelho doloroso é compreender os movimentos e as posições adotadas pela articulação e não simplesmente buscar o alívio imediato da dor

A dor inicia leve e vai ficando persistente e é nesse momento que se apela aos medicamentos para aliviá-la. E o uso frequente desses analgésicos e anti-inflamatórios vai mascarar o problema, porque apenas promove o alívio do sintoma (dor) e não resolvem definitivamente a causa da disfunção (perda de mobilidade).

A dor persistente nos joelhos limita os movimentos, impedindo que os tecidos como a cartilagem, os meniscos e as cápsulas recebam a nutrição necessária para o funcionamento da articulação, comprometendo a condição de sustentação e equilíbrio do corpo.

A cartilagem é um tecido que reveste os ossos da articulação do joelho, do fêmur, tíbia e patela. A função desse tecido é facilitar o movimento articular e diminuir o atrito entre os ossos, proporcionando um movimento suave. O trauma intenso, repetitivo e a sobrecarga contribuem para o início da lesão dos joelhos.

Mas o que mais contribui para a não solução das lesões de joelho é o não consenso de um diagnóstico funcional. Nessa situação, trata-se somente a estrutura (cartilagem, meniscos, etc.), sem compreender os movimentos ou as posições erradas realizadas pela articulação, predispondo o paciente a quadros crônicos de dor e até artrose precoce.

Voc no tem que viver com dores nos joelhos

Cartilagem do Joelho machucada

Atenção à perda de movimento e dores nos joelhos. Busque ajuda imediatamente.

A perda de movimento nos joelhos é encarada muitas vezes como normal, enquanto é sinal de que algo não está funcionando bem.

Muitas pessoas evitam determinados movimentos por sentirem dor ou desconforto nos joelhos e esse comportamento gera uma adaptação da articulação que nem sempre é favorável.

O movimento normal dos joelhos deve ser preservado, pois é dessa forma que a articulação recebe todos os nutrientes necessários.

Os joelhos são articulações que recebem muita carga e foram criadas para isso. O mau funcionamento das estruturas dos joelhos como cartilagem, ligamentos e meniscos podem comprometer outras articulações como a coluna vertebral e o quadril, predispondo todas essas articulações ao envelhecimento precoce, artrose (no joelho, quadril e coluna) e discopatia degenerativa lombar.

Romaria pelo diagnóstico

A falta de confiabilidade nos testes diagnósticos de ordem funcional dos joelhos é, provavelmente, a principal responsável pelos quadros crônicos e sem solução, onde as dores se arrastam por longo tempo, prejudicando a recuperação futura.

Na maioria das vezes os diagnósticos são baseados em exames de imagens (Raios-X, Ressonâncias ou Tomografias Computadorizadas) e nem sempre estes são os melhores caminhos para determinar as providências futuras. Por isso há vários casos de procedimentos invasivos como cirurgias desnecessárias que não trazem resultados ao tratamento.

Tratamento eficaz para a Osteoartrose de Joelho - Método Mckenzie.

Estudo mostra a eficácia do Método McKenzie no tratamento da artrose do joelho (Fonte: http://www.researchgate.net/publication/259874978).

Pacientes com osteoartrite (Artrose) de joelho que foram avaliados e tratados com exercícios prescritos com base na avaliação do Método McKenzie tiveram uma melhora considerável das dores e dos movimentos.

A osteoartrose, osteoartrite e artrose definem uma mesma doença que chega a acometer até 30% da população adulta acima dos 50 anos. É uma esperança para milhares de pessoas que passam a ter um tratamento baseado em evidências, para aliviar e abolir as dores no joelho.


Como compreender o que provoca as dores nos joelhos?

É preciso uma avaliação específica para obter um diagnóstico funcional correto. A Fisioterapia Avançada contribui para um entendimento do problema do joelho e da coluna, mostrando que é possível reverter os sintomas de forma rápida, segura e na maioria das vezes sem cirurgia.

Em casos de traumas intensos, é preciso avaliar a condição dos tecidos (cartilagem, meniscos, cápsulas, tendões, etc.) que formam os joelhos, para determinar se a cirurgia é realmente necessária.

É importante descobrir se a natureza do problema do joelho é mecânica, ou seja, provocada por um movimento ou uma posição. Os testes de movimentos repetitivos possibilitam uma compreensão maior das conseqüências do trauma direto, da sobrecarga ou torção envolvido na lesão.

A avaliação mecânica de McKenzie utiliza vários testes de movimentos para os joelhos, oferecendo maior confiabilidade diagnóstica.

A maioria dos pacientes, com o conhecimento adequado, pode se tratar com sucesso de um problema nos músculos ou articulações.


Dr. Abnel Alecrim, Fisioterapeuta, Especialista em Reabilitação Musculoesquelética e Esporte, Campinas, SP, Brasil.

Fique livre das dores musculoesqueléticas. Faça a Fisioterapia Avançada.

Deixe seu recado:

Entre em Contato

(19) 3308-6330

Segunda à Sexta das 8h às 18h.