O desconhecimento da ergonomia e os maus hábitos posturais são responsáveis pela maioria das dores musculoesqueléticas dos cirurgiões dentistas.

                                               

Segundo Michalak Turcotte (2000) os cirurgiões dentistas apresentam dores musculoesqueléticas mais do que outros, enquanto que a prevalência de desconforto e dores musculoesqueléticas atinge um índice de 62% da população em geral, nos cirurgiões dentistas esse percentual atinge 93%.

Esses profissionais estão sentindo a diminuição na produção de serviços e a necessidade de adquirir estratégias para se adaptarem ao trabalho devido aos sintomas que desenvolvem por causa das dores musculoesqueléticas relacionadas ao trabalho.
 

O que leva os dentistas a terem dores?

Os riscos são inúmeros, porém aqueles que estão fortemente ligados à postura, força, compressão mecânica, repetitividade e habilidade, estão enquadrados nos riscos ergonômicos. Oliveira et al. (1998) afirmam que as dores musculoesqueléticas nos dentistas é o resultado do uso abusivo dos músculos, tendões e articulações, por movimentos rápidos, repetitivos e de força, em ações estáticas e posturas inadequadas.

                                                        

As dores mais frequentes dos dentistas.

Segundo uma pesquisa realizada por Rio & Rio (2000) com 450 dentistas na cidade de Belo Horizonte, 92,12% sentiram nos últimos 12 meses dor ou incômodo físico relacionado ao exercício da profissão e 96,85% consideram a profissão estressante. Gobbi (2003), em sua pesquisa com 165 CDs de uma cidade no interior de São Paulo, encontrou 29 referências a algum tipo de sintoma osteomuscular nos últimos 12 meses em 92,7%, sendo que as regiões mais afetadas foram a cervical (67,3%), punhos e mãos (63%), lombar (62,4%), torácica (61,2%) e ombros (58,8%).

A prevenção é o melhor remédio

O conhecimento sobre a ergonomia no ambiente do trabalho leva a uma mudança de comportamento, tornando mais fácil a compreensão de que a prevenção dos distúrbios musculoesqueléticos no Trabalho do Cirurgião Dentista é o Melhor Remédio.

Para se realizar um atendimento satisfatório em condições ergonomicamente adequadas, o mocho se torna um elemento chave neste cenário, merecendo, portanto, ser repensado de maneira a promover uma postura mais ergonômica ao profissional, com o objetivo de minimizar os efeitos indesejáveis das posturas estáticas prolongada.

O exercício da profissão leva o Cirurgião Dentista a utilizar de forma intensa os membros superiores o que pode gerar patologias específicas de acordo com sua especialidade. Contudo, Rasia (2004) aponta além das posturas fixas, o estresse como um componente que pode acentuar as patologias do trabalho. Aliados a isto também se encontram as características hereditárias e o estilo de vida adotado por cada um.

Cabeça projetada para frente provoca dores na coluna e na cabeça?

         

Estudo mostra que cabeça projetada para frente pode, por sua vez, causar uma pressão física no nível superior do pescoço (discos, ligamentos e nervos), produzindo dor e a diminuição dos movimentos dos tecidos moles e das articulações nessa região, aumentado assim à percepção de tontura. Vidal P, Huijbregts P. Dizziness in orthopedic Physical Therapy Practice: history and physical examinantion. J Man Manip Ther. 2005;3(4):222-51.

 

A autocuidado precisa ser praticado fora do trabalho.

Os sintomas dos cirurgiões dentistas são mais persistentes mesmo fora do trabalho. Caso as condições de trabalho não mudem os sintomas passam a afetar as atividades da vida diária, como pendurar roupa no varal, segurar uma panela, parafusar, girar uma maçaneta, secar os cabelos, etc.

A dor leve e o desconforto nos músculos e articulações aparecem de forma silenciosa, dia sim, dia não, e o corpo consegue se adaptar a essa condição alterando a postura (adaptação). Quando a dor se torna persistente é um sinal que o corpo esgotou todas as formas de adaptação e conforto, e entra a partir deste momento na fase degenerativa e incapacitante. À dor persistente é somada a os outros sintomas e sinais como o edema, perda da força e o calor local.

     

Estudos mostram uma alta prevalência de dores lombares, desconforto no pescoço e ombro dos dentistas. Há evidências que a maioria das dores musculoesqueléticas pode estar sendo alimentadas pela falta do autocuidado fora do ambiente do trabalho, como por exemplo, com a utilização dos smartphones, laptops, tablets e posições de sentar ruins.

        

Quando o quadril não está bem posicionado no mocho ocorre um desalinhamento na coluna lombar, levando a desalinhamento dos níveis superiores (coluna torácica e cervical). Esta condição postural provoca um estresse excessivo nos ligamentos, discos e nervos da coluna vertebral.

A peregrinação por uma informação confiável sobre as dores nos músculos e articulações.

Na ausência de um diagnóstico correto, muitos casos de dor musculoesquelética, em especial, as dores na coluna e irradiada, permanecem sem solução, e a peregrinação do paciente por uma informação confiável sobre o seu problema, não acaba nunca.

A demora em buscar ajuda da Fisioterapia Especializada, associada a diagnósticos errados, leva muitas lesões musculoesqueléticas a piorar, podendo essas manifestações, evoluir para dores mais intensa, persistente e incapacitante.

Tratamento eficaz - Método McKenzie. 
 
O Método McKenzie foi criado pelo fisioterapeuta neozelandês Robin McKenzie. O tratamento consiste na avaliação do paciente, e na elaboração de um programa de exercícios, orientação postural e prevenção de novas crises. No tratamento o paciente é estimulado a se autocuidar e ensinado a se autotratar.


 
A maioria das dores musculares e articulares do corpo é de origem "mecânica", ou seja, é provocada por uma posição ou um movimento aplicado nos músculos e articulações. Sendo assim, uma posição ou um movimento inverso ao que agride, estressa e deforma as estruturas da coluna, por exemplo, pode abolir a dor e restaurar a função dos músculos e articulações.
 
O Método McKenzie não visa apenas à solução das dores musculares e articulares atuais, mas também, a prevenção em longo prazo, da incidência de novas crises.
 
Além de ser um tratamento rápido, eficaz e seguro, visto que geralmente são necessárias poucas sessões (5 a 7 sessões) para o alivio dos sintomas, o paciente pode fazer exercícios em casa ou no trabalho, evitando as idas ao consultório do fisioterapeuta.
      
Prevenção - Autocuidado.
 
O desuso e hábitos posturais ruins estão por trás da causa do ponto gatilho.
 
Realizar exercícios preventivos em casa ou no trabalho ajuda a tornar os músculos e articulações mais flexíveis e ajustados nas posições fixas e em movimentos, evitando assim, o encurtamento dos músculos e a má postura. 


 

Um tratamento eficaz musculoesquelético é baseado na educação. Educação sobre as causas, educação sobre o exercício específico, sobre a postura, e principalmente, educação sobre a prevenção. 
 

O desconhecimento da ergonomia e dos exercícios corretos para a manutenção da postura provocam as dores nos músculos e articulações do corpo. O tratamento correto e eficaz para as dores que atinge os músculo e articulações ajudam na manutenção da postura e na melhora da flexibilidade dos músculos e articulações, prevenindo os desgastes e o processo degenerativo dos músculos, nervos, ligamentos, cartilagens e dos discos.


 
Dr. Abnel Alecrim, Fisioterapeuta, Especialista em Reabilitação Musculoesquelética e Esporte, Campinas, SP, Brasil.

Fique livre das dores musculoesqueléticas. Faça a Fisioterapia Avançada.

Autotratamento e Autocuidado ao Profissional de Odontologia
 

Deixe seu recado:

Entre em Contato

(19) 3308-6330

Segunda à Sexta das 8h às 18h.